img-feed img-feed-email

quinta-feira, 11 de março de 2010

A arte de culpabilizar seus pais

"Você culpa seus pais por tudo
Isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer?"



Tenho pensado nesta música, interpretada por Legião Urbana.
Tenho pensado na culpa que costumamos atribuir aos nossos pais!

Recentemente, assisti à cena de uma novela em que uma mãe reclamava com a filha por esta ter se interessado e estar namorando com um jovem envolvido em vários crimes graves. A garota respondeu que se envolveu com o rapaz por culpa da mãe que não lhe deu o devido apoio quando ela precisou!
Um belo argumento!

O fato é que a culpa envolve uma sociedade poderosa que julga um determinado comportamento como inadequado e, com isso, passa a punir socialmente o 'culpado'.
Seguindo a linha do Behaviorismo Radical na Psicologia, entendemos que ninguém quer ser punido. A punição é uma forma de extinguir um comportamento. E é mais ou menos isso que, direta ou indiretamente, temos feito com nossos pais. Atribuir a nossos pais a culpa por situações que nos são aversivas e nos incomodam é uma forma de culpabilizá-los e, com isso fazer com que emitam menos comportamentos que não gostamos.
Culpamos nossos pais pelo nosso nariz redondo, pelos dentes meio tortos, pelo cabelo crespo, pelo excesso de sarnas no corpo. Culpamos nosso pais por nos proibirem de ir a festa... ou por terem sido permissivos demais. Culpamos nossos pais pela nossa carência... ou pelo excesso de mimos. Culpamos nossos pais pela falta de grana... e pela mordomia financeira excessiva. Culpamos nossos pais por terem nos dado a luz.

É claro que, é responsabilidade de nossos progenitores nos transmitir princípios e regras de convivência e que, essa transmissão será baseada nas convicções de nossos educadores que nos influenciaram diretamente. Todavia, a medida em que crescemos e assumimos as nossas próprias decisões também devemos assumir as consequências das mesmas, sejam elas positivas ou não!

Não é por culpa de seus pais que você não consegue um emprego. E nem por culpa deles que você ainda não se casou. Não é por culpa de seus pais que você é apelidada de 'jaburú' ou de 'feinha' (apesar da contribuição genética sempre há algo que possamos melhorar em nós mesmos).
Atribuímos muitos de nossos fracassos a algum tipo de 'trauma' infantil. Nossa dificuldade amorosa está relacionada a um complexo de édipo que alguém te ensinou mas, você nem sabe exatamente o que é. E todo esse seu comportamento obsessivo existe porque há alguma coisa no seu inconsciente, relacionado ao passado e a situações familiares que te fazem comportar-se de tal forma! Afinal, como afirmou Concepción Arenal, "quando a culpa é de todos, a culpa não é de ninguém."
Desculpas!
Desculpas que aliviam nossas culpas. Desculpas que reduzem nosso medo das consequências. Desculpas que não apenas aliviam nossas mentes mas, principalmente nos vitimizam.
Culpabilizar nossos pais é uma arte. A arte de atribuir a eles os nossos fracassos e, mesmo assim continuar sentindo-se culpado.


Fica então um reflexão:
"Pare de culpar os outros por seus insucessos, por suas frustrações e por tudo aquilo que não é ou não sai exatamente de acordo com as suas expectativas."
(Dirk Erik Wolter)
O remédio para consertar a culpa é assumí-la!

7 comentários:

Hefestos disse...

Muitas das vezes os pais são culpados. Muita coisa que acontece na vida de um adulto foi decidida lá atrás, quando ele era criança e de alguma forma foi negligenciado pelos seus pais. Há muitas pessoas que não tem condições de por filhos no mundo e mesmo assim os colocam. Uma pessoa, antes de por um filho no mundo, deveria ser submetida a uma habilitação anterior. Afinal de contas é uma vida que você irá administrar. Se a gente precisa de uma habilitação prévia para dirigir um carro mais ainda precisaríamos de uma habilitação para por um filho no mundo. Deveria haver algum tipo de responsabilização mais séria. O Direito Civil já diz que quando um menor comete algum ato ilícito seus pais serão civilmente responsáveis em indenizar o dano independentemente de se averiguar se eles (os pais) agiram com culpa ou não, negligenciaram ou não. A questão é que se torna inútil culpá-los pois isso não irá melhorar a sua vida. E eles também não agiram intencionalmente para prejudicá-lo.

Tahiana Andrade disse...

Não costumo responder comentários no próprio blog, no entanto, neste caso, acho que seja necessário.

Claro que, em certas situações os pais são responsáveis. Eu disse isso ao afirmar sobre os princípios e regras de convivência transmitidos pelos pais.
É claro que muita coisa em nossa vida tem uma relação com o nosso passado e com os nossos pais, independente da intenção deles.
A psicologia, seja ela freudiana, skinneriana ou de qualquer outra linha teórica, sempre se utiliza de questões relacionadas aos pais e ao passado para trabalhar um paciente em terapia clínica. Isso faz parte de nossa vida.
O que quero dizer é que, apesar disso tudo, nós também possuímos a responsabilidade por decisões de nossas vidas e que o nosso fracasso e insucesso não pode ser 'culpa' apenas de nosssos pais. Culpar os pais é uma maneira de nos acomodarmos e permanecermos em um perfil comportamental que nos desagrada sob uma justificativa incompleta.
Acho que estamos certos... os dois. Há sim o erro dos pais... mas também há o nosso erro... e é esse último responsabilidade nossa!

Valeu a dica e a opinião!

Leonardo disse...

Oi..

Realmente é engraçado como muitos fazem e ainda faz esse papel de culpas outros de seus erros, principalmente os pais, acho que a criança nesse sentido acaba sendo natural, pois ainda não estamos prontos para ver esses nossos erros, pois para voce conseguir ver o seu erro, voce precisa ter um nivel de se entender, se conhecer, que uma criança não tem, o que me fez chegar hoje nesse nivel foi começada por essa musica que voce citou, sou um grande fã de Legião e sempre soube que o sentido das letras estavam muitos mais do que pesava.

em fim
amei o post
vou te seguir
qd puder apareça no meu tb
beijao

Erick Macau disse...

Olha,
no antigo weblogger o código q me deram iria servir. Mas no blogspot o código não deu certo
hauhauahuahauhauhauhaa
abraços libertários

Hefestos disse...

Há sim o erro dos pais... mas também há o nosso erro... e é esse último responsabilidade nossa!

Sim, nós temos a nossa culpa também.

Nana * disse...

Olá.
Encontrei o seu site no blog "Mulher na Polícia" e não pude deixar de ver que você é piscologa. Se fosse possivel, e não lhe der muito trabalho, gostaria muito de conversar com você a respeito dessa profissão, porque estou tendo alguns problemas e para responder todas as minhas dúvidas preciso de alguem que me ajude.
Vou te deixar o meu email: nathaliazumstein@hotmail.com

Desde já,
Obrigada :)

Fionna ^^. disse...

Sem mais. To mudando isso um bocado em minha vida.. rss Vi lá que vcê é psicóloga.. eu faço psicologia =) otimo blog, volto mais!

Como você está em relação às eleições?

Visitantes do Idiotizando


Contador Grátis Desde 18/01/2010

Top comentaristas!

widget UsuárioCompulsivo Quanto mais você comentar aqui no Idiotizando mais chances você terá de ter o seu blog divulgado nessa lista! Comente já!

SEGUIDORES

Minha lista de blogs

IDIOTICAMENTE FALANDO:

Frase da semana: "Simplesmente sei que tudo o que sinto é muito mais meu do que todo o saber que me cerca!"> (Tahiana Andrade)
 
▲ TOPO ▲